top of page
PHOTO-2023-09-25-08-28-43 4.jpg
Hugo Pilger.webp

Hugo 
Pilger

violoncelo

LOGOTIPO VERTICAL.png
PHOTO-2023-09-25-08-28-43 4.jpg

Doutor em Música, Hugo Pilger é professor de violoncelo da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO e membro do Trio Porto Alegre. Compositores como Ernst Mahle, Ricardo Tacuchian, Ernani Aguiar, Maurício Carrilho, Wagner Tiso, Marcos Lucas, Leandro Braga, Marcelo Carneiro, dentre outros, dedicaram-lhe importantes obras. Como solista, se apresentou à frente de várias orquestras, dentre elas: Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Ouro Preto, Orquestra Sinfônica Nacional,

Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Realizou turnês em diversos países da Europa, América do Sul e do Norte. Em 2006, Hugo Pilger fez a estreia no Brasil da importante obra para violoncelo e orquestra Tout un Monde Lointain do compositor francês Henri Dutilleux, e, em 2009, a estreia sul-americana do concerto para violoncelo e orquestra Pro et Contra, do compositor estoniano Arvo Pärt. Em sua discografia destacam-se os álbuns “Hugo Pilger interpreta Ernani Aguiar”, “Ernst Mahle, a integral para violoncelo e piano” com o pianista Guilherme Sauerbronn, “Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para violoncelo e piano”, vol. I e vol. II com a pianista Lúcia Barrenechea e “Claudio Santoro: a obra integral para violoncelo e piano” com o pianista Ney Fialkow, com os quais tem obtido excelentes críticas e premiações. É autor do livro "Heitor Villa-Lobos, o violoncelo e seu idiomatismo". Recebeu o "Prêmio Profissionais da Música 2018" na categoria "Instrumentista Erudito” e indicações ao Grammy Latino de 2012 e 2021. Participou de dezenas de programas de televisão em séries dedicadas aos quartetos de cordas e obras para violoncelo e piano de Heitor Villa-Lobos e seus pares. Hugo Pilger toca num violoncelo Joseph Hill de 1775.

 

“Ouvi cuidadosamente sua interpretação e a descobri cheia de qualidades...” Henri Dutilleux (Paris)

 

“Uma técnica impecável, um virtuosismo total no instrumento e com uma sonoridade assombrosa! Uma interpretação de tirar o fôlego!”

Álvaro Gallegos M.  (Santiago do Chile)

 

"Pilger extrai uma sonoridade sedosa e íntima do violoncelo e, com um fraseado perfeito, se entrega a um desenho lírico da melodia ."

Jorge Coli (Revista Concerno - São Paulo-SP)

bottom of page